Investidor Tudo que você precisa saber antes de começar a investir em startups

Tudo que você precisa saber antes de começar a investir em startups

Se você está começando agora no ecossistema empreendedor ou se nunca investiu em startups, sua cabeça certamente está borbulhando com diversas perguntas sobre o assunto. Mas não se preocupe, afinal, como toda boa novidade, é normal que apareçam algumas dúvidas no meio do caminho. Aqui no Kria, atuamos com o propósito de democratizar ao máximo o investimento em negócios fora da curva e com alto potencial de retorno, e sabemos que um dos principais pilares dessa democratização está relacionado à educação de novos investidores – e também dos investidores de longa data, por que não? 

Neste artigo, te mostraremos tudo que você precisa saber antes de iniciar sua jornada como um investidor de startups. 

Mas antes…      

Quem nunca se sentiu perdido em uma palestra, reunião ou até mesmo em uma conversa de amigos por não saber o significado de uma simples palavra? O ecossistema empreendedor está repleto de termos específicos que normalmente não são usados por quem ainda não está habituado a esse meio, portanto caso tenha dúvidas sobre algum termo utilizado nesse artigo, você pode consultar o nosso Dicionário de Startupês (caso não encontre a palavra buscada, fique à vontade para indicar novas definições ao nosso dicionário). 

A palavra é: timing!

O ecossistema empreendedor brasileiro nunca esteve tão aquecido. Só no ano passado (2018), o volume investido em startups brasileiras cresceu 51% em comparação ao ano anterior, e 65% de todo o investimento feito em startups latinoamericanas foi destinado a empresas brasileiras (os dados são da LAVCA). 

Com isso, cada vez mais entusiastas estão buscando maneiras de entrar nesse mercado – o que é muito bom, afinal quanto mais pessoas interessadas em investir, mais movimentado o mercado ficará. Já no ponto de vista dos investidores, são inúmeros os benefícios que podem ser gerados ao longo dessa jornada. Confira alguns deles:

#1 – Obtenha retornos financeiros

Ao investir em startups, você está comprando uma participação do negócio, e pode obter retornos financeiros significativos de acordo com o resultados da empresa.

#2 – Invista no futuro que deseja construir

Investir em startups é investir em pessoas e em inovações que estão transformando realidades econômicas, sociais e ambientais em uma grande escala. Faça parte de suas jornadas empreendedoras e protagonize a inovação!

#3 – Torne-se um profissional mais antenado

Ao participar de novas jornadas empreendedoras, você acaba conhecendo as principais tendências do mercado e aprendendo algo novo com os empreendedores que estão inovando no país. 

#4 – Amplie seu networking

A partir do momento que você investe em uma startup, você passa a fazer parte de sua comunidade de investidores. Com isso, você estará propenso a ampliar sua rede de contatos através da possibilidade de se conectar outros entusiastas do ecossistema – tanto empreendedores como investidores.

Investimento em startups é para todos

A possibilidade de investir em startups pela internet ainda é algo novo no Brasil. Durante muito tempo, esse tipo de investimento era restrito aos grandes fundos de venture capital ou pessoas com altíssimo poder aquisitivo. Mas a realidade agora é outra. Desde 2014, quando o Kria nasceu, oferecemos esse tipo de aplicação aos brasileiros através de uma modalidade de investimento até então inédita no país: o equity crowdfunding.

Nunca foi tão fácil se tornar um investidor. No equity crowdfunding, através de rodadas de investimento colaborativas, qualquer um pode se tornar sócio de negócios inspiradores e disruptivos de um modo 100% digital. E com o objetivo de democratizar ao máximo essa modalidade de investimento, no Kria qualquer um pode investir em startups a partir de R$500 (clique aqui para entender melhor como funciona o equity crowdfunding). 

As regras do jogo

Defina sua tese de investimento

Selecione negócios que te inspiram e escolha os critérios que considerar mais importantes para a tomada de decisão sobre entrar ou não em uma rodada de investimento (clique aqui para conferir a tese de um de nossos investidores).

O sucesso não é garantido

A maior parte das startups vai falhar em seus primeiros anos. A probabilidade de perda do capital é muito maior do que de obter retornos significativos. Para um portfólio saudável, não aloque mais de 5–10% de sua carteira de ativos em startups e nunca invista mais do que está disposto a perder.

Diminua o risco diversificando

Não invista em apenas uma startup, por mais incrível que ela possa ser. Invista em pelo menos 10, para ter maior chance de sucesso. Uma startup vencedora em seu portfólio provavelmente valerá mais do que todas as demais juntas (confira aqui algumas dicas sobre gestão de portfólio).

Lembre-se: Diversificar não significa investir em todas! Faça uma análise das oportunidades e invista nas que realmente acredita.

Seja paciente

Startups são negócios em estágio inicial, e precisam de alguns anos para atingirem seu potencial. Sendo assim, são investimentos de baixa liquidez  – provavelmente irá demorar alguns anos até obter retorno. Por isso, invista apenas o capital que você pode manter investido por esse período de tempo.

Veja seu retorno

Investidores lucram com as startups quando vendem parte ou toda a participação na empresa em um evento de liquidez.

Os principais cenários são:

1. Aquisição da startup por uma empresa do setor, concorrente ou fundo de investimento. 

Exemplo: A startup Resale, que já captou R$400 mil com 29 investidores de nossa comunidade, foi comprada pelo Banco BTG Pactual. Com isso, as pessoas que entraram em alguma das rodadas de investimento da Resale (ao todo, foram 2 captações feitas com a nossa comunidade antes dela ser adquirida pelo BTG) tiveram um retorno de até 128% sobre seus investimentos em 2 anos.

2. Nova rodada de investimento com possibilidade de saída para investidores de rodadas anteriores. 

Exemplo: Desde 2014, já realizamos 3 rodadas públicas para captar investimentos para o Kria. Em dezembro de 2018, quando abrimos nossa última captação, os investidores que entraram na 1ª ou na 2ª rodada tiveram a opção de vender suas participações para a empresa emissora (que no caso era o próprio Kria). Quando isso ocorreu, essas pessoas tiveram um retorno de até 46% ao ano sobre seus investimentos.

3. Abertura do capital na bolsa de valores. 

Exemplo: No início de 2019, a Beyond Meat, startup que produz carnes feitas à base de planta e que possuem gosto e aparência de carne animal, fez seu IPO na NASDAQ (bolsa de valores norte americana). Porém, antes de abrir seu capital na bolsa, ela havia captado investimentos por meio de uma rodada de equity crowdfunding. Sendo assim, com seu IPO, os investidores dessa rodada obtiveram retorno sobre os aportes feitos na startup.

*O investidor tem ainda a opção de vender seu título/ação a um terceiro a qualquer momento e nos termos que desejar, porém ainda não existe um mercado organizado para essas transações, o que pode dificultar que encontre um comprador.

Controle sua participação

É provável que a empresa tenha que realizar futuras rodadas de captação para crescer. Nestes contextos, sua participação pode ser diluída com a entrada de novos investidores na empresa.

No Kria, garantimos uma proteção contra a diluição: a preferência pró-rata, que dá ao investidor o direito de comprar participação adicional na empresa em uma eventual nova rodada, a fim de manter sua porcentagem.

*Dica de sucesso: reserve um capital para exercer seu direito de preferência e aumentar sua participação nas principais empresas de seu portfólio. Identificar quais empresas estão indo bem para fazer um novo aporte é chave para um bom portfólio.

Monitore seus investimentos

Você pode acompanhar ativamente o seu portfólio e ajudar as startups durante a jornada - seja fazendo introduções estratégicas, compartilhando um pouco de sua experiência ou até mesmo comprando e recomendando os produtos/serviços.

*Dica de sucesso: colabore com o crescimento da startup para que você possa crescer junto!

VAMOS COMEÇAR?

#1 – Defina quanto você quer investir por ano

Aloque no máximo 5-10% de seu capital para investir em startups e negócios de impacto.

#2 – Calcule quanto você deve investir em cada negócio

Invista em pelo menos 10 startups para ter maiores chances de sucesso. Para começar, recomendamos que você invista em no mínimo 4 novos negócios por ano.

#3 – Descubra novos negócios

Fique atento às oportunidades de investimento que são lançadas. Os negócios que abrem rodadas de investimento no Kria passam por um rigoroso processo de curadoria, e estão aptos a receberem investimentos.

#4 – Faça a lição de casa

Analise as oportunidades cuidadosamente – dos fundadores ao potencial de mercado.

#6 – Selecione o seu primeiro investimento

Todo o processo é online, e você pode finalizar seu investimentos em poucos cliques. 

Veja como:


Para conferir as oportunidades de investimento que estão disponíveis no momento, clique aqui.  

Comentários

Nenhuma resposta para esse artigo.

Deixe seu comentário