Ecossistema de Startups Spotify investe em podcasts; retorno é para crowdfunding

Spotify investe em podcasts; retorno é para crowdfunding

Em 2014 a Gimlet Media realizou um crowdfunding de investimentos com seus ouvintes. Quatro anos depois, anuncia venda ao Spotify por U$230 milhões

Na semana passada o Spotify divulgou os seus resultados financeiros do Q4 de 2018 — resultados animadores em termos de receita, número de assinantes e, pela primeira vez na história, lucro operacional. A empresa anunciou também estratégia agressiva para se consolidar como maior produtora e distribuidora de podcasts (hoje, está atrás apenas da Apple).

Com planos de investir de U$400 a U$500mil em aquisições de players nesse mercado, a gigante de streaming já anunciou suas 2 primeiras aquisições (o negócio será selado nas próximas semanas): Anchor e Gimlet Media, a 1ª com foco em tecnologia para a produção e a 2ª com foco em conteúdo (destaques para os “shows” StartUp e Homecoming, ficçãoque originou a série no Amazon Prime com participação de Julia Roberts).

O interessante é que esse momento — e o retorno — é compartilhado com algumas dezenas de investidores.

Aquisição da Gimlet marca novo retorno para os investidores do crowdfunding

Em Novembro de 2014, a startup realizou uma oferta de U$1.5 milhão e reservou os últimos U$ 200 mil para seus ouvintes, em uma oferta de crowdfunding. No post em que anunciavam a oferta, os co-fundadores Alex e Matt falam sobre a importância da comunidade para a empresa:

“No fim das contas, o sucesso dessa empresa dependerá de nossa relação com os ouvintes. Desde que lançamos (o podcast) StartUp, suas respostas tem sido extraordinárias. E tem sido emocionante ter vocês tão intimamente envolvidos na formação da empresa.

É por isso que os convidamos para se juntar a nós. Neste momento, temos mais de U$1 milhão alocados, de um bom grupo de investidores, incluindo a Lowercase CapitalBetaworks e alguns investidores anjos como Marco Arment e Andrew Mason, que você já ouviu no (podcast) StartUp. Mas sempre foi nosso sonho dar a nossos ouvintes a chance de ser parte da empresa. Então agora reservamos os últimos U$200 mil da rodada para nossos ouvintes — nós queremos que você invista junto com esse grupo.”

Announcing: listener investment opportunity in Gimlet Media
If you’ve been listening to the StartUp podcast, you know we are nearing the end of our seed round of fundraising to…medium.com

Dessa oferta participaram aproximadamente 80 investidores, que tiveram a oportunidade de investir ao lado de grandes investidores como a Lowercase Capital, um dos fundos de capital de risco mais bem sucedidos do mundo (e fundado por personalidade do mercado, Chris Sacca).

Hoje, com a aquisição da empresa por U$230 milhões, esses investidores verão retorno do investimento feito há 4 anos, quando a empresa estava avaliada em U$10 milhões.

Em entrevista dada ao Recode Media, os fundadores contam sobre a venda da Gimlet para o Spotify, e respondem sobre o retorno dado aos investidores do crowd:

“Você (o investidor) será pago e terá um belo retorno. Nessa manhã, enviamos um e-mail para… acho que 80 pessoas, que colocaram entre U$1.000 e U$10.000 há quatro anos. É realmente especial e gratificante poder contar a eles.

Os e-mails que recebemos de volta, eram tão emocionantes e sentimentais, porque eles sentiram como se fossem parte de algo que realmente causou um impacto positivo no mundo e se sentiram tão felizes com isso.”

– Matt Lieber

Full Q&A: Alex Blumberg and Matt Lieber explain why they sold Gimlet to Spotify
On Friday, Recode broke the news that Spotify was in talks to buy the popular New York-based podcast studio Gimlet…www.recode.net

A iniciativa de convidar a sua comunidade para investir, e nos mesmos termos de investidores “estratégicos”, é infelizmente pouco comum aqui no Brasil. Ainda que as startups investem cada vez mais na construção de comunidades e de fato acreditam no valor das redes, perdem por não ver nestas o potencial — também estratégico, ainda que de uma forma diferente — de investimento.

Assim como Gimlet, e até mesmo Uber, muitas startups poderiam (deveriam!) dar o valor às pessoas ao seu redor, que evangelizam seus negócios por genuinamente acreditar neles. Reservar um espaço em sua oferta para quem já faz parte de sua empresa não é “caridade”, é estratégia. É um outro smart money: mais colaborativo, diverso e conectado com o que você acredita.


Esse post poderia ter sido um podcast. Quem sabe, em breve?

Comentários

Nenhuma resposta para esse artigo.

Deixe seu comentário